Blog Horizontes

março 30, 2011

O Blog da Horizontes Arquitetura mudou de cara e de endereço.

Acesse: http://horizontesarquitetura.blogspot.com/

Anúncios

GEMARQ

fevereiro 23, 2011

Desde 2009 a Horizontes Arquitetura e Urbanismo está associada ao Gemarq.

O GEMARQ é uma  entidade que promove a colaboração e a troca de experiências e conhecimento entre os profissionais e empresas, instituindo uma interface organizacional capaz de inserir as questões de Arquitetura e Urbanismo no dia a dia de nossa sociedade, incentivando a ampliação da qualidade e dos resultados dos serviços prestados.

Clique aqui para conhecer o site do Gemarq.


Shifting Power: The Importance of Funding Community Participation

fevereiro 8, 2011

A metodologia de intervenção utilizada pela Horizontes Arquitetura e Urbanismo em projetos de habitação social e intervenção em Vilas e Favelas foi citada no trabalho Shifting Power: The Importance of Funding Community Participation, de autoria de Jessica Bremner e Caroline Park.

As pesquisadoras, afiliadas à UCLA-University of California-Los Angeles, desenvolveram o trabalho através de extensa pesquisa de campo que incluiu visita a várias favelas de Belo Horizonte e entrevistas com a equipe da Horizontes, com técnicos da prefeitura, professores universitários (PUC Minas) e membros de associações comunitárias.

Sobre o trabalho da Horizontes elas citam:  “(…)  private architects from Horizontes Arquitetura were consulted by URBEL in order to efficiently design and activate new open spaces in the vilas. In our interview with the architects, they discussed how any open space within a vila will most likely be invaded by either squatters or drug dealers. Architects, Marcelo Palhares Santiago and Felipe de Farias, shared that as a result of the violence, many residents construct walls as protection from open spaces where drug traffickers are most likely to congregate. Additionally, most houses are built so that entry ways and windows do not face the road. Thus, many residents have are left with little option or encouragement to spend their free time outside their homes.

For this reason, the architects sought to find a way to preserve and protect the newly created open spaces by creating “active parks”. Active parks offer facilities and amenities that encourage physical activity, which could be used throughout the day by users of all ages. They include design elements that discourage excessive stationary activities by omitting tables and benches. In their design, the architects “play” with the hilly landscape in order to create non-traditional forms of seating. Other design concepts the architects supported were the creation of pedestrian paths that would better connect residents to their community, the use of bright colors and local graffiti artists to contribute to constructed recreation areas. (…)”

A conclusão da pesquisa destaca a necessidade de intervenções de qualidade, a importância do trabalho participativo como ferramenta critica de projeto e como estratégia para garantir maior aceitação da comunidade.


Uma década de bons horizontes 2

janeiro 12, 2011

Iniciamos 2011 comemorando 10 anos de uma grande experiência.

Em Janeiro de 2001 viajamos para Detroit nos EUA para conhecer o país e encontrar nosso professor e amigo Fernando Lara. Fizemos diversos passeios para conhecer algumas cidades (Chicago, Detroit, Ann Arbor, Oak Park e NY) e visitar edifícios projetados por importantes arquitetos como Frank Lloyd Wright, Mies Van der Rohe, SOM, Eero Saarinen, Steven Holl, etc.

Entre os vários dias de passeios acabamos tendo um dia de trabalho prático na Lawrence Tech University onde participamos de um Workshop. O workshop, coordenado pelos professores da universidade, tinha o objetivo de redesenhar o pátio central do campus, que incluia o novo prédio do curso de arquitetura, projetado pelo arquiteto Charles Gwathmey (fez parte do grupo New York  Five juntamente com Peter Eisenman, Michael Graves, John Hejduk e Richard Meier). Os três estudantes, Gabriel Velloso, Luiz Felipe de Farias e Marcelo Palhares, foram separados em grupos para ter a oportunidade de projetar com os estudantes americanos.

Esta experiência de turismo, cultura e arquitetura acabou nos inspirando a formar, um ano depois, a Horizontes Arquitetura e Urbanismo. Celebramos 10 anos desta viagem, agradecemos ao Fernando Lara pela oportunidade, e esperamos muitas décadas de bons projetos e boas parcerias!


12ª PREMIAÇÃO DE ARQUITETURA DO IAB-MG

dezembro 16, 2010

Os arquitetos Gabriel Velloso, Luiz Felipe de Farias e Marcelo Palhares da Horizontes Arquitetura e Urbanismo receberam um prêmio e duas menções honrosas na 12ª Premiação de Arquitetura do IAB-MG (Instituto de Arquitetos do Brasil-seção Minas Gerais). Os prêmios foram entregues  pela diretoria do IAB-MG em cerimônia realizada no último dia 13 de dezembro, no auditório da Escola de Arquitetura da UFMG.

A Premiação do IAB-MG tem reconhecida importância nacional e já premiou, em toda sua história, alguns dos mais importantes arquitetos mineiros. O intuito da premiação é destacar a contribuição dos arquitetos para a cultura e para a melhoria das cidades, com ênfase em: criatividade, valorização do projeto como ferramenta de tomada de decisão, melhor aproveitamento dos recursos naturais disponíveis, viabilidade e o compromisso com as necessidades e aspirações do homem contemporâneo.

As menções honrosas foram concedidas para dois projetos de interesse social: Intervenções na Pedreira Prado Lopes, projeto realizado para a Construtora Mello Azevedo, e Vila Barraginha, projeto realizado para a Práxis Projetos e Consultoria e para a Prefeitura de Contagem. O júri destacou a importância das intervenções para a criação de espaços urbanos de qualidade estética nas áreas degradadas.

O projeto premiado foi a exposição MOVA! Arquitetura, realizada pelo MHAB (Museu Histórico Abílio Barreto). O júri destacou a clareza comunicativa e a sobriedade da linguagem gráfica do projeto.

Nos sentimos muito honrados com esta premiação e satisfeitos por fechar o ano com um reconhecimento tão importante. Agradecemos a todos os profissionais e parceiros envolvidos no desenvolvimento dos projetos, e aos clientes que viabilizaram estes trabalhos.

ps. O arquiteto Fernando Luiz Lara, parceiro da Horizontes em projetos especiais, também foi premiado pelo projeto “Intervenção na Pedreira Prado Lopes”. Os demais premiados foram: MOVA! Arquitetura: Matheus Marques F. de Melo, Norah Turchetti, José Neves Bittencourt, Pedro Paulo Pereira, Joaquim A. Pereira. Vila Barraginha: Matheus Marques F. de Melo

 


Nova seda DME-D

dezembro 1, 2010

A Horizontes Arquitetura e Urbanismo foi responsável pelo projeto para a nova sede da DME-D, distribuidora de energia elétrica de Poços de Caldas, Minas Gerais.

O edifício foi projetado como um grande bloco prismático e maciço, atendendo ao extenso programa, à pequena dimensão do terreno e à limitação de altura. Para dar leveza à volumetria os dois pavimentos inferiores, onde se localizam estacionamentos e espaços técnicos, foram tratados com fechamentos em tela metálica vazada coberta com plantas trepadeiras. Desta forma o prédio assume uma leitura horizontal, e parece flutuar sobre a base ‘transparente’.

Nos dois pavimentos intermediários foram resolvidos os setores administrativos e de atendimento público. Estes dois pavimentos foram tratados com brises móveis coloridos, com intenção de destacar a volumetria e proporcionar proteção solar aos ambientes de trabalho, reduzindo o uso de ar condicionado.

O terraço foi arrematado por um coroamento sustentado por colunata em concreto aparente.  Neste espaço foram resolvidas as áreas de convívio dos funcionários, com vistas para a cidade a sul e para uma grande montanha a norte (Serra do Cristo).

Durante a fase de concepção do projeto foram desenvolvidos vários estudos de cor para tratamento da fachada. Em cada estudo utilizou-se variações de tons de uma determinada cor. As cores foram aplicadas em brises verticais móveis de alumínio, compondo ‘planos’ de tamanhos variados. O movimento constante das aberturas e a variação de cor proporcionam uma imagem dinâmica da volumetria, contribuindo para que o novo edifício seja um importante marco arquitetônico na paisagem de Poços de Caldas.

Estudos de cor

Proposta final


Arquitetura Ainda que Tardia

novembro 16, 2010

A edição de Novembro 2010 da Revista AU publicou uma matéria, de autoria do arquiteto Fernando Lara, sobre projetos de intervenção em favelas. Os projetos da Horizontes Arquitetura para intervenção em duas favelas (Morro das Pedras e Pedreira Prado Lopes) aparecem com destaque. O texto compara a experiência do Brasil com a de outros países da América Latina, ressaltando a importância da presença do poder público e a necessidade de valorização dos espaços das favelas através da boa arquitetura.

“(…) Importante citar que Belo Horizonte chega agora ao 18o ano de continuidade administrativa e isso conta muito, porque não se faz nada significativo no espaço de apenas quatro anos (São Paulo que o diga). Entre dezenas de obras de infraestrutura foram criadas oportunidades para jovens arquitetos desenharem pequenos equipamentos públicos de apoio aos novos parques e áreas de lazer. Na favela Prado Lopes, a mais violenta da cidade, a transformação de becos em ruas (com toda a infraestrutura que uma rua devidamente implica) gera dezenas de pequenos espaços residuais onde o grupo Horizontes está projetando pocket-plazas, espaços de lazer ativo com poucos metros quadrados de área, alta permeabilidade e pisos sempre que possível inclinados para desencorajar a apropriação privada desses espaços agora qualificados. (…) Trabalhando em um ambiente precário, esses arquitetos têm conseguido reverter os problemas em uma arquitetura simples e barata, mas digna do seu nome. Trabalhar nas favelas implica lidar com uma comunidade desconfiada de qualquer iniciativa governamental cuja tradição é de repressão muito mais do que de respeito e investimento. ”

Para ler o texto completo clique aqui.