Shifting Power: The Importance of Funding Community Participation

fevereiro 8, 2011

A metodologia de intervenção utilizada pela Horizontes Arquitetura e Urbanismo em projetos de habitação social e intervenção em Vilas e Favelas foi citada no trabalho Shifting Power: The Importance of Funding Community Participation, de autoria de Jessica Bremner e Caroline Park.

As pesquisadoras, afiliadas à UCLA-University of California-Los Angeles, desenvolveram o trabalho através de extensa pesquisa de campo que incluiu visita a várias favelas de Belo Horizonte e entrevistas com a equipe da Horizontes, com técnicos da prefeitura, professores universitários (PUC Minas) e membros de associações comunitárias.

Sobre o trabalho da Horizontes elas citam:  “(…)  private architects from Horizontes Arquitetura were consulted by URBEL in order to efficiently design and activate new open spaces in the vilas. In our interview with the architects, they discussed how any open space within a vila will most likely be invaded by either squatters or drug dealers. Architects, Marcelo Palhares Santiago and Felipe de Farias, shared that as a result of the violence, many residents construct walls as protection from open spaces where drug traffickers are most likely to congregate. Additionally, most houses are built so that entry ways and windows do not face the road. Thus, many residents have are left with little option or encouragement to spend their free time outside their homes.

For this reason, the architects sought to find a way to preserve and protect the newly created open spaces by creating “active parks”. Active parks offer facilities and amenities that encourage physical activity, which could be used throughout the day by users of all ages. They include design elements that discourage excessive stationary activities by omitting tables and benches. In their design, the architects “play” with the hilly landscape in order to create non-traditional forms of seating. Other design concepts the architects supported were the creation of pedestrian paths that would better connect residents to their community, the use of bright colors and local graffiti artists to contribute to constructed recreation areas. (…)”

A conclusão da pesquisa destaca a necessidade de intervenções de qualidade, a importância do trabalho participativo como ferramenta critica de projeto e como estratégia para garantir maior aceitação da comunidade.


12ª PREMIAÇÃO DE ARQUITETURA DO IAB-MG

dezembro 16, 2010

Os arquitetos Gabriel Velloso, Luiz Felipe de Farias e Marcelo Palhares da Horizontes Arquitetura e Urbanismo receberam um prêmio e duas menções honrosas na 12ª Premiação de Arquitetura do IAB-MG (Instituto de Arquitetos do Brasil-seção Minas Gerais). Os prêmios foram entregues  pela diretoria do IAB-MG em cerimônia realizada no último dia 13 de dezembro, no auditório da Escola de Arquitetura da UFMG.

A Premiação do IAB-MG tem reconhecida importância nacional e já premiou, em toda sua história, alguns dos mais importantes arquitetos mineiros. O intuito da premiação é destacar a contribuição dos arquitetos para a cultura e para a melhoria das cidades, com ênfase em: criatividade, valorização do projeto como ferramenta de tomada de decisão, melhor aproveitamento dos recursos naturais disponíveis, viabilidade e o compromisso com as necessidades e aspirações do homem contemporâneo.

As menções honrosas foram concedidas para dois projetos de interesse social: Intervenções na Pedreira Prado Lopes, projeto realizado para a Construtora Mello Azevedo, e Vila Barraginha, projeto realizado para a Práxis Projetos e Consultoria e para a Prefeitura de Contagem. O júri destacou a importância das intervenções para a criação de espaços urbanos de qualidade estética nas áreas degradadas.

O projeto premiado foi a exposição MOVA! Arquitetura, realizada pelo MHAB (Museu Histórico Abílio Barreto). O júri destacou a clareza comunicativa e a sobriedade da linguagem gráfica do projeto.

Nos sentimos muito honrados com esta premiação e satisfeitos por fechar o ano com um reconhecimento tão importante. Agradecemos a todos os profissionais e parceiros envolvidos no desenvolvimento dos projetos, e aos clientes que viabilizaram estes trabalhos.

ps. O arquiteto Fernando Luiz Lara, parceiro da Horizontes em projetos especiais, também foi premiado pelo projeto “Intervenção na Pedreira Prado Lopes”. Os demais premiados foram: MOVA! Arquitetura: Matheus Marques F. de Melo, Norah Turchetti, José Neves Bittencourt, Pedro Paulo Pereira, Joaquim A. Pereira. Vila Barraginha: Matheus Marques F. de Melo

 


Nova seda DME-D

dezembro 1, 2010

A Horizontes Arquitetura e Urbanismo foi responsável pelo projeto para a nova sede da DME-D, distribuidora de energia elétrica de Poços de Caldas, Minas Gerais.

O edifício foi projetado como um grande bloco prismático e maciço, atendendo ao extenso programa, à pequena dimensão do terreno e à limitação de altura. Para dar leveza à volumetria os dois pavimentos inferiores, onde se localizam estacionamentos e espaços técnicos, foram tratados com fechamentos em tela metálica vazada coberta com plantas trepadeiras. Desta forma o prédio assume uma leitura horizontal, e parece flutuar sobre a base ‘transparente’.

Nos dois pavimentos intermediários foram resolvidos os setores administrativos e de atendimento público. Estes dois pavimentos foram tratados com brises móveis coloridos, com intenção de destacar a volumetria e proporcionar proteção solar aos ambientes de trabalho, reduzindo o uso de ar condicionado.

O terraço foi arrematado por um coroamento sustentado por colunata em concreto aparente.  Neste espaço foram resolvidas as áreas de convívio dos funcionários, com vistas para a cidade a sul e para uma grande montanha a norte (Serra do Cristo).

Durante a fase de concepção do projeto foram desenvolvidos vários estudos de cor para tratamento da fachada. Em cada estudo utilizou-se variações de tons de uma determinada cor. As cores foram aplicadas em brises verticais móveis de alumínio, compondo ‘planos’ de tamanhos variados. O movimento constante das aberturas e a variação de cor proporcionam uma imagem dinâmica da volumetria, contribuindo para que o novo edifício seja um importante marco arquitetônico na paisagem de Poços de Caldas.

Estudos de cor

Proposta final


3º FÓRUM HIS – HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

outubro 6, 2010

Entre os dias 15 e 18 de Setembro realizou-se em Belo Horizonte a 7ª edição do MINASCON 2010, evento realizado pela FIEMG, que reuniu diversos agentes do setor da construção civil. Dentro da programação do evento ocorreu o 3º Fórum HIS-Habitação de Interesse Social, com organização do IAB-MG. Nossa equipe foi convidada a se apresentar neste evento técnico para debater os caminhos da habitação social no Brasil.

Além da Horizontes Arquitetura, diversos profissionais de destaque na área da habitação social apresentaram seus trabalhos, entre eles os arquitetos Pedro da Luz, Pablo Benetti, Demetre Anastassakis, os escritórios ArquiTraço e Chic da Silva e o presidente do IAB Nacional Arq. Gilson Paranhos.

A equipe da Horizontes, representada pelo arquiteto Marcelo Palhares, apresentou 6 projetos de interesse social, com destaque para conjuntos habitacionais e intervenções em vilas e favelas.  A apresentação ressaltou a importância dos processos participativos na fase de projeto, da flexibilidade de plantas e usos, a inserção do comércio como forma de geração de renda e, principalmente, da importância da criação de praças de uso público e  áreas verdes integradas com as unidades residenciais e ao longo das ruas e becos.

O debate se concentrou na necessidade de mudança dos paradigmas e dos modelos de atuação do poder público e dos órgãos financiadores, com intuito de elevar os parâmetros arquitetônicos exigidos para a habitação de interesse social.

No balanço final, os arquitetos presentes foram unanimes em defender a importância da contratação de projetos de qualidade pelos órgãos públicos como passo fundamental para alcançar os resultados esperados na melhoria da condição de vida da população carente.


CUADERNO LATINOAMERICANO DE ARQUITECTURA

maio 17, 2010

O trabalho da Horizontes Arquitetura apareceu na edição de maio de 2010 da revista “30-60-Cuaderno Latino Americano de Arquitectura“, uma publicação argentina que dá espaço para os principais acontecimentos na área em toda a América Latina.

O texto ressalta a importância da arquitetura produzida em Minas Gerais em vários períodos da história, principalmente nos anos 40, quando teve alcance internacional, e anos 80, com alcance nacional.

A arquitetura mineira volta a se destacar neste início de século como centro de um movimento de renovação e a revista apresenta trabalhos, selecionados pelo arquiteto Fernado Luiz Lara, de alguns dos principais escritórios de Belo Horizonte, entre eles Horizontes Arquitetura e Urbanismo.

Os projetos realizados pela Horizontes no Morro das Pedras são elogiados pelo equilibrio entre a elegância do desenho e a relação com a comunidade nos processo participativos de projeto.

A revista elogia os projetos de intervenção em favelas como um grande exemplo vindo do Brasil, especialmente de Minas Gerais, e uma excelente oportunidade da arquitetura demonstrar seu poder de transofrmação e de comprometimento com a realidade social.


Concurso Espaço Savassi

março 29, 2010

O “Concurso Espaço Savassi” foi realizado em 2007 por uma agência de publicidade com a participação de 4 equipes convidadas. O objetivo consistia em transformar um terreno privado em uma praça de uso público, agregando estruturas de suporte para receber diversos tipos de eventos.

A praça serviria como uma vitrine urbana para grandes marcas/anunciantes que poderiam adotar a praça como patrocinadores, associando sua marca a uma atitude de gentileza urbana.  O terreno, com dimensões mínimas e forma irregular, localiza-se na Av. Cristovão Colombo, num dos pontos mais valorizados da região da Savassi, Belo Horizonte-MG.

Memorial Descritivo

O Espaço foi concebido para proporcionar diversas utilizações, que podem variar de acordo com as demandas. Flexibilidade, conforto, visibilidade e tecnologia são as estratégias do projeto.

Seus elementos principais têm diversas funções, de acordo com seu posicionamento, isso faz com que o espaço possa ser configurado de acordo com a necessidade da propaganda ou evento. Os elementos que configuram a praça se movimentam com o uso de elevadores hidráulicos, que acionados eletronicamente podem modificar substancialmente o espaço e seus usos. Isto viabiliza a montagem rápida de eventos com dinâmicas espetaculares, atraindo a atenção do público e possibilitando variados usos.

Os elementos que participam ativamente da configuração de diversos tipos de espaços são:

Plataforma: move-se para baixo e para cima podendo ser utilizada como palco, expositor, “lounge”, banco, etc. A plataforma servirá para criar efeitos cenográficos em eventos publicitários de marca como um carro ou um artista que pode surpreendentemente surgir do chão. Pode ser também uma pequena loja que desce ao subsolo fora do horário comercial, transformando o espaço em um palco, jardim ou simples banco.

Bancos retráteis: configuram-se de diversas maneiras transformando-se em arquibancadas, bancos, “deck”, ou piso quando não elevados, integrando-se à calçada e permitindo a passagem de pessoas.

Vitrine: coberta por uma cortina de água ao fundo da praça, ela é um expositor de produtos, obras de arte, espaço publicitário ou conceitos. Internamente ela é o acesso ao subsolo. Quando a cortina d’água é ligada, cria um micro-clima que deixa o local agradável durante o verão, tornando a praça um lugar de relaxamento com temperatura mais amena. Quando desligada, uma tela de projeção pode descer automaticamente para exibir filmes ou campanhas publicitárias.

A praça será equipada com rede “wireless” de acesso à Internet e sensores de presença que captam movimentos em determinados pontos, acendendo luzes coloridas na cortina d’água ou vídeos.

A praça está inserida em local movimentado. Isto torna viável fechar temporariamente o trânsito de veículos na Rua Tomé de Souza para a realização de grandes eventos. Neste caso sugere-se abaixar totalmente os bancos retráteis e elevar a plataforma, que funcionaria como um grande palco.

Este projeto tem com objetivo criar um espaço que faça da marca um nome conhecido por um tipo de publicidade diferenciada. A MARCA faz assim uma grande gentileza urbana. Associa sua imagem à tecnologia, conforto e ao bem estar dos moradores de Belo Horizonte.

CLIENTE: Concurso Espaço Savassi

LOCAL: Belo Horizonte, MG

DATA: 2007

AUTORES: Horizontes Arquitetura e Urbanismo (Gabriel Velloso da Rocha Pereira, Luiz Felipe de Farias e Marcelo Palhares Santiago) e Matheus M. F. de Melo


“Building for the Favelas : news from Brazil”

março 15, 2010

O site americano e-architects publicou uma matéria sobre a parceria entre Horizontes Arquitetura e o Arquiteto Fernando Lara (PhD, University of Texas, Austin). O texto de autoria de Fernando Lara, entitulado “Building for the Favelas : news from Brazil“, faz uma breve apresentação do programa de reurbanização de favelas da Prefeitura de Belo Horizonte (Vila Viva) e apresenta as estratégias de projetos utilizadas pela equipe.

“(…) Horizontes, a young trio in Belo Horizonte, have already accumulated significant experience with participatory processes in their first decade in practice. Now working in partnership with Fernando Lara (a professor with large international experience) they have been able to articulate a new approach to public spaces in the reminiscent areas between the new roads and the favela remaining buildings.

In Campo do Cascalho, and Pedreira Prado Lopes the design strategy has been to locate active programs (around sports) that foster collective appropriation and discourage “privatization” by any group or individual. At the same time the spaces have to be “defensible” with as much visibility as possible to contribute to the sense of security. Another preoccupation regards soil permeability. Being extremely dense (up to 300 people/ha) the favelas are also very much impermeable and that creates enormous problems during the rainy season when 100mm of rainfall per day is a weekly occurrence.

The design solution specifies traditional materials used in new ways to increase permeability in inclined platforms that foster active uses and discourage further illegal construction (flat surfaces are much easier to be quickly taken and incorporated to existing buildings).  (…)”

Para ler o texto completo acesse o site e-architects clicando aqui.